Logotipo Biotec AHG

Bactéria causa mais de cem mortes em hospitais no Canadá

Imprimir .
Número de casos aumentou até dez vezes mais nos últimos dois anos em Quebec

Autoridades sanitárias canadenses estão preocupadas com o que parece ser a disseminação de uma bactéria mortal no país. Nos últimos dezoito meses, mais de 100 pessoas já podem ter morrido nos hospitais em função de infecções causadas pelo microorganismo, que provoca diarréia e inflamação do cólon – principalmente em pessoas mais velhas.

Segundo estudo realizado por especialistas canadenses, o agente causador das mortes pode ser a bactéria Clostridium difficile, facilmente encontrada em instalações hospitalares, e que em pessoas sadias é incapaz de provocar grandes males. 

No entanto a bactéria pode ser perigosa para pessoas já enfraquecidas por tratamentos com antibióticos, o que permitira a ela instalar-se no trato intestinal e permanecer por meses no organismo do indivíduo.

Disseminação por esporos

A disseminação de infecções intestinais em vários hospitais da região de Toronto começou a preocupar os médicos quando mais de 40 pessoas morreram durante uma epidemia de SARS no último ano.

Por enquanto, a doença parece afetar apenas pacientes hospitalizados, atacando geralmente pessoas que acabaram de passar por tratamentos com antibióticos, e restringe-se a alguns hospitais na província de Quebec e na cidade de Calgary, no oeste do país.

Os casos mais letais concentram-se em pacientes que acabaram de passar por cirurgias abdominais e tratamentos quimioterápicos. Além disso, a bactéria parece espalhar-se também por esporos encontrados nos banheiros dos hospitais.

Estudos feitos pelo Jornal da Associação Médica Canadense descobriram que, de 2002 para 2003, o índice de pacientes que contraem a bactéria subiu de 2,1 para 10 casos a cada 1000 internações em dois hospitais na região de Montreal e um na região de Quebec. Em pacientes com mais de 65 anos, esse índice chega a ser até dez vezes maior.

As infecções foram mais freqüentes na Universidade de Sherbrooke, em Quebec. No centro médico da instituição já ocorreram 54 mortes em 2003 ligadas à bactéria. Na primeira metade deste ano o número já chega a 46 mortes. De acordo com o estudo, nos últimos meses o hospital tem trabalhado para diminuir o número de infecções.

Pouco investimento    Administradores dos hospitais afirmam que as equipes de manutenção dos hospitais tem sido reduzidas em função de cortes nos financiamentos federais e estaduais nos últimos anos e que as condições sanitárias deixam muito a desejar.

Em resposta às críticas e afirmações do estudo, o Secretário de Saúde do Estado de Quebec, Philippe Couillard, questionou se a bactéria é a rela causa das mortes. Ele respondeu, cautelosamente, que “cem pessoas morreram enquanto estavam com a bactéria, mas isso não significa que elas morreram especificamente por causa dela”.

Enquanto isso, autoridades sanitárias em Quebec insistem para que os hospitais reforcem seus programas de higiene, com cuidados extras na limpeza de maçanetas, vasos sanitários e na lavagem das mãos. Além disso, esta semana mais de cem instalações sanitárias do estado devem começar a informar o governo sobre novos casos e a disseminação da bactéria, em um esforço para conseguir rastrear a doença.  
09/08/2004
 

 © BIOTEC AHG 2020 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010