Logotipo Biotec AHG

Cientistas sequenciam mais dois cromossomos

Imprimir .
Cientistas anunciaram este mês o sequenciamento de mais dois cromossomos humanos, o 13 e o 19. Com isso, subiu para 9 o número total de cromossomos humanos já sequenciados completamente. O homem possui, em sua composição genética, 22 pares de cromossomos, mais um par determinante do sexo do indivíduo, XY nos homens e XX nas mulheres.

O sequenciamento completo do código genético humano, no entanto, já foi realizado por cientistas em 2000. Desde então, pesquisadores estão trabalhando isoladamente em cada um dos cromossomos humanos, uma espécie de “pente fino” das informações contidas no genoma. A intenção é acelerar a descoberta das funções de cada gene e, assim, permitir o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos para doenças.

Além disso, o estudo permite avaliar, com maior precisão, dados levantados no projeto genoma humano que, apesar de ter mapeado toda a sequência genética do ser humano, ainda deixou muitas questões em aberto. O número total de genes, por exemplo, antes estimado em 100 mil, hoje é estimado em cerca de  30 a 40 mil genes. Mesmo assim, espera-se com estes estudos descobrir possíveis tratamentos para as doenças genéticas.

Novas descobertas

A cada cromossomo sequenciado, as descobertas aumentam. Nestes dois últimos, foram encontradas informações importantes sobre a base genética de doenças como asma, colesterol alto, diabetes tipo 2, esquizofrenia, câncer de mama e de retina.

No cromossomo de número 19, o maior deles, foram identificados 1461 genes. Apesar de ser o maior de todos os cromossomos até então sequenciados, o número está bem abaixo dos 6 mil genes esperados pelos cientistas.     Sequenciado por cientistas pertencentes ao Instituto de Genomica do Departamento de Energia dos Estados Unidos e à Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA), o cromossomo representa cerca de dois por cento de todo o código genético humano. Nele, foram encontrados genes relacionados à diabetes e também ao colesterol alto. 

Além disso, uma série de genes que controlam a reparação do DNA após a exposição à radiação e alguns poluentes também foi encontrada no cromossomo.

O cromossomo número 13, ao contrário do 19, mostrou-se o menor de todos já sequenciados pelos pesquisadores, com apenas 633 genes. Apesar disso, traz em genes como o BRCA 2 informações valiosas acerca do câncer de mama e de retina.

“Ter estas informações vai tornar mais fácil a vida de muita gente”, disse o Dr. Andrew Dunham, pesquisador do Wellcome Trust Sanger Institutem em Hixton, na Inglaterra, responsável pelo sequenciamento do cromossomo 13.    Apesar do pouco número de genes encontrados no cromossomo 13, seu estudo pode revelar, ainda, muitos dados para os pesquisadores. “No centro do cromossomo há um grande “deserto” de apenas 47 genes em um espaço onde encontramos normalmente 180, mas sabemos de regiões nele que não codificam genes, mas são compartilhadas com outras espécies, e está claro que algumas delas codificam mensagens regulatórias”, disse o Dr. Dunham.  
21/04/2004
 

 © BIOTEC AHG 2020 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010