Logotipo Biotec AHG

VII ENGEMA reúne trabalhos de todo o Brasil.

Imprimir .
Entre os dias  10 e 12 de novembro de 2003 foi realizado em São Paulo, no auditório da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo - FEA/USP, o VII ENGEMA, Encontro Empresarial sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente.    Organizado bienalmente, através de uma parceria entre a FEA/USP e a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Faculdade Getúlio Vargas - EAESP/FGV há mais de 12 anos, o evento tem como objetivo discutir, apresentar e divulgar trabalhos e pesquisas de ponta na área de gestão ambiental e empresarial no Brasil, buscando aliar o enfoque na adoção de estratégias sócio-ambientalmente responsáveis a uma concepção de desenvolvimento sustentável. 

Nesta edição do ENGEMA, a organização contou com um número recorde de trabalhos inscritos, dos quais 147 foram selecionados, demonstrando a importância do tema e o interesse que o mesmo vem despertando nos diversos setores da sociedade em geral, como o econômico, o científico e o governamental. 

Segundo a coordenadora do evento, Dra. Liége Mariel Petroni, o grande número de inscrições deixou a comissão organizadora muito satisfeita com os resultados, pois demonstra que o tema  gestão empresarial ambiental vem sendo bem assimilado pela sociedade em geral.    Os trabalhos foram selecionados por uma comissão formada por professores da FEA e da FGV, que contou também com a participação de institutos e centros de pesquisa. Um fator que chamou a atenção foi a diversidade dos temas abordados pelos trabalhos e os setores envolvidos em sua produção, possibilitando a todos os interessados observar um panorama completo sobre  o status e o alcance da questão ambiental no Brasil e seus reflexos nos diversos setores da economia nacional.

Dentre os trabalhos apresentados destacamos o da Professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade Rergional de Blumenau (FURB/SC), Sheila Elisa S. Klein, cujo tema “Gestão Ambiental na Construção Civil de Edificações” evidencia que o produto edificação civil gera uma série de impactos ambientais, tanto por causa do consumo de materiais não renováveis na fabricação de seus elementos e suas matérias-primas, quanto pela geração de resíduos na construção e demolição, além dos consumos, por exemplo, de energia e água e a geração de resíduos na fase de uso. 

Outro trabalho destacado é o dos pesquisadores Fabrício Cintra, da Fundação para o Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (FUNDACE/USP) e Priscilla de Andrade, da Faculdade de Ciências Econômicas Administrativas e Contábeis de Franca(FACEF), de São Paulo, no qual avaliam os impactos ambientais causados pela queima de cana-de-açúcar na pré-colheita, apontando alternativas para a substituição dessa prática por outras menos agressivas ao meio ambiente, além da adoção de sistemas de gestão sócio-ambiental pelas empresas sucroalcooleiras, evitando prejuízos e passivos ambientais.

O evento contou com a presença e participação de pesquisadores e estudiosos do tema vindos do Brasil inteiro, reforçando o seu  pioneirismo no país ao colocar em pauta temas tão polêmicos, discutindo, propondo e apontando soluções de forma a equilibrar a ligação entre economia,  meio ambiente e desenvolvimento sustentável.

  
11/12/2003
 

 © BIOTEC AHG 2020 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010