Logotipo Biotec AHG

Raças Gir e Guzerá serão sequenciadas

Imprimir .
Um esforço conjunto entre criadores e pesquisadores brasileiros, poderá originar o primeiro sequenciamento genético de raças zebuínas leiteiras. Os resultados ajudarão nos estudos de melhoramento genético, possibilitando o desenvolvimento de ferramentas específicas para a seleção de animais zebuínos.

Pesquisadores da unidade Gado de Leite da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) serão os responsáveis pelo seqüenciamento genético das raças zebuínas Gir e Guzerá.  Essa é mais uma iniciativa que insere o Brasil, ou mais particularmente a bovinocultura nacional, na era da genômica.

Este cenário começou a ser desenhado quando pesquisadores brasileiros da Embrapa Cenargem, participaram do mapeamento bovino completo, via seqüenciamento dos 280.000 clones do genoma dos animais em cromossomos artificiais (“BAC Map”), em parceria com o USDA (United States Department of Agriculture). O consórcio para a montagem desse mapa genético contou com a colaboração de cientistas da Austrália, do Brasil, do Canadá, da França, da Itália, da Nova Zelândia, da Escócia e dos EUA.

Há cerca de um ano, a revista Science publicou um artigo que apresenta os resultados do primeiro seqüenciamento genético de um bovino, nesse caso, da raça Hereford (Bos taurus taurus).  Estão incluídos no gênero Bos,  os animais domésticos (Bos taurus), com duas principais subespécies, o Bos taurus taurus, gado europeu, e o Bos taurus indicus, ou gado zebu, indiano. De origem indiana, as raças Gir e Guzerá são objeto de estudo dos pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, que pretendem realizar o seu sequenciamento genético.

Essas raças, assim como outras da mesma origem, são de grande importância econômica para o Brasil e para outros países de clima tropical, pois apresentam grande rusticidade, o que lhes confere uma boa capacidade de adaptação à temperaturas elevadas. Baseando-se nessas características, o pesquisador da unidade Gado de Leite da Embrapa, e coordenador dos estudos, Vinícius G. B. da Silva, em entrevista ao portal da unidade, destaca a importância de se conhecer o sequenciamento genético do gado zebuíno.  Segundo ele, é necessário descobrir quais as diferenças genéticas entre as raças européias e indianas para subsidiar melhor os estudos de melhoramento genético dos rebanhos Gir e Guzerá. Ele garante também que, o estudo possibilitará o desenvolvimento de ferramentas específicas para a seleção de animais zebuínos.
 
 
Cenário favorável

Atualmente, o Brasil é o segundo maior produtor e o primeiro maior exportador de carne do mundo, o que mostra a grande importância que o seqüenciamento genético dessas raças tem para a economia nacional, principalmente, quando se leva em consideração que a maior parte do gado bovino do país é formada por raças zebuínas, tais como a Nerole, Gir, Guzerá, Indubrasil e seus mestiços com raças européias, como o Girolando. O pesquisador destacou também que, esse é um projeto pioneiro para o seqüenciamento do genoma de zebuínos leiteiros.

Além da Embrapa Gado de Leite, que coordena os trabalhos, o projeto envolve a Universidade Federal de Minas Gerais, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, os Pólos de Excelência do Leite e Genética Bovina, Uberaba, Minas Gerais, o Instituto René Rachou e associações de criadores.
14/05/2010
Arlei Maturano - Equipe Biotec AHG
 

 © BIOTEC AHG 2017 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010