Logotipo Biotec AHG

Pesquisadores decifram genoma de importante organismo marinho

Imprimir .
Daniel Udwary, Bradley Moore e sua equipe obtiveram com sucesso o seqüenciamento do genoma de um organismo marinho de nome Salinispora tropica. A decodificação deste genoma abre a porta a uma série de possibilidades para isolar e adaptar moléculas que o organismo marinho usa naturalmente no ambiente oceânico para a sua defesa, busca de alimento e comunicação.     Salinispora foi descoberto em 1991 por Paul Jensen e William Fenical em sedimentos oceânicos das Bahamas. As Bahamas (ou Baamas) são um país das Caraíbas, situado entre o Oceano Atlântico, a nordeste, e o Mar das Caraíbas, a sudoeste. A bactéria produz compostos que mostraram sinais promissores para o tratamento de cânceres. Um dos seus compostos, o “salinosporamide A,” está atualmente em experimentos clínicos humanos (pela Nereus Pharmaceuticals em San Diego) para tratar o mieloma múltiplo, um câncer que se desenvolve na medula óssea, devido ao crescimento descontrolado de células plasmáticas. Embora seja mais comum em pacientes idosos, há cada vez mais jovens desenvolvendo a doença. Os experimentos também estão sendo testados em outros tipos de tumores    “Através do seqüenciamento de Salinispora tropica podemos agora analisar com maior detalhe os genes deste organismo e retirar potenciais compostos anticancerígenos e altamente promissores. É emocionante usar esta informação genômica e maximizar as descobertas deste organismo prolífico” disse Moore, professor e especialista em assuntos que ligam áreas como a biotecnologia e a ciência farmacêutica. 

Muita da ansiedade de produzir novos fármacos de Salinispora vem de seu potencial inovador e, também está sendo necessário aumentar o arsenal atual dos antibióticos, visto que muitos são já ineficazes devido à resistência de muitos organismos. Mais da metade dos antibióticos naturais usados clinicamente é derivado do gênero Streptomyces, parente do Salinispora que são considerados os principais organismos para a produção de antibiótico.

Por terem conseguido a seqüência genômica deste organismo com sucesso, Moore e seus colegas podem agora mover-se nos campos da engenharia genética, e poder desta forma manipular a bactéria e maximizar os potenciais derivados, tais como a salinosporamide A. Outras possibilidades incluem o uso de informação para aumentar compostos manufaturados e gerar novas estruturas baseadas em projetos genômicos. 

“Com a informação do genoma à disposição, compreendemos agora a base molecular da natureza de síntese salinosporamide A, que nos permite descrever sua via biosintética” disse Moore. Entender a leitura do genoma revelou diversos aspectos previamente desconhecidos de Salinispora tropica. Por exemplo, quando as observações em bactérias similares revelaram que tipicamente 6-8% do genoma do organismo é direcionado a produzir moléculas para antibióticos e agentes anticancerígenos, o genoma de Salinispora tropica mostrou impressionantes 10 %” disse Moore. Os cientistas localizaram 17 conjuntos do gene, dispersos pelo genoma do organismo como responsáveis pela produção deste alto porcentual. 

“Se soubermos com exatidão como o mapa genético deste organismo está estruturado, e como poderemos aproveitá-lo da melhor forma, também iremos caracterizar que produtos químicos estão sendo sintetizados,” disse Moore. “Esta é uma maneira de minar os genomas para novas estruturas químicas, com vários potenciais, sobretudo no contexto da saúde humana.”

Os avanços pelo laboratório Fenical em decifrar as estruturas químicas de produtos naturais de Salinispora foram chaves para Moore e a Joint Genome Institute (JGI) resolver a estrutura do genoma do Salinispora tropica

Os estudos atuais estão concentrados em resolver o genoma de Salinispora arenicola, uma espécie relacionada, encontrada também em sedimentos tropicais do mar. A pesquisa está sendo financiada pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, pelos Institutos Nacionais de Saúde e pela JGI. Os resultados foram recentemente apresentados no Proceedings of the National Academy of Sciences.

  
18/06/2007
 

 © BIOTEC AHG 2017 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010