Logotipo Biotec AHG

Entrevista com Dra. Luciana Di Ciero da ANBio - Protocolo de Biossegurança

Imprimir .
Com todas as especulações sobre o Protocolo de Biossegurança que aconteceu em Curitiba, resolvemos informar a população um pouco mais sobre questões biotecnológicas envolvidas. Para isso, entramos em contato com a Associação Nacional de Biossegurança (ANBio) que nos respondeu por meio de uma entrevista com um de seus diretores científicos, Dra. Luciana Di Ciero da ESALQ/USP. 


Biotec: Qual é a importância do Brasil na questão biotecnológica e agrícola em âmbito mundial?

ANBio: O Brasil é um dos maiores produtores de plantas geneticamente modificadas ao lado dos Estados Unidos e da Argentina. Foi considerado em 2005 o maior exportador de soja em grãos do mundo. O País tem recursos humanos qualificados em Biotecnologia graças ao incentivo da realização dos Projetos Genoma, e atualmente uma pesquisa de ponta na área.    

Biotec:  A questão da seca pode ser futuramente resolvida com a biotecnologia? O que já existe sobre o assunto?

ANBio: A Biotecnologia pode contribuir na revolução de diversos problemas relacionados à agricultura, já a produção de plantas em áreas secas pode vir a ser viável em um futuro próximo. Diversos grupos de pesquisadores estão pesquisando genes de resistência a seca, que possam ser transferidos às plantas e torná-las capazes de sobrevier nestes ambientes. Entretanto, atualmente, com as plantas tolerantes a herbicidas e resistentes às pragas, a biotecnologia tem contribuído com a economia de água nas lavouras, já que são feitas menos pulverizações com agroquímicos.      

Biotec:  Que outras questões já estão perto de uma solução?

ANBio: As questões de melhora nutricional dos alimentos, resistência às doenças, a questão da produção de suínos, cujos dejetos poluem menos o meio ambiente, as plantas resistentes ao frio, produção de vacinas e medicamentos por biotecnologia, plantas resistentes a solos salinos e ácidos, grãos com ômega 3, entre outros.

Biotec: Quais são os principais problemas enfrentados na área de biotecnologia? Como se pretende resolver estes problemas?   

ANBio: A falta de uma política de ciência e tecnologia adequada e os escassos recursos para a pesquisa pública são os principais problemas no Brasil. Para se resolver estes problemas precisamos de vontade política. Outro problema é a falta de informação da população e a divulgação de informações distorcidas ao consumidor. 

Biotec: Qual é a sua opinião pessoal e postura em relação à posição brasileira no último Protocolo? 

ANBio: O Brasil defendeu seus interesses sempre olhando para os objetivos do Protocolo que é a Biossegurança.

  

15/05/2006
 

 © BIOTEC AHG 2017 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010