Logotipo Biotec AHG

Sistema aprimorado de análise de DNA

Imprimir .

O rápido e constante avanço da ciência vem, na mesma medida, exigindo maior precisão, redução dos custos e o aumento da capacidade em volume de amostras, dos equipamentos de análise. Cientes dessa necessidade e dos benefícios que esse aprimoramento pode trazer, pesquisadores do Instituto Real de Tecnologia (KTH), em Estocolmo (Suécia), desenvolveram um sistema capaz de realizar a análise simultânea de 5.000 amostras de DNA e com o custo semelhante a equipamentos de menor capacidade.

Em entrevista ao portal Science Daily, o pesquisador do KTH, Peter Savolainen, aponta a importância do método desenvolvido por ele e pelos cientistas Afshin Ahmadian e Marten Neiman, e sua aplicação para as pesquisas com câncer, devido à grande necessidade de digitalizar uma quantidade muito elevada de informações de genes e células de pacientes com câncer.

Savolainen destaca também que a área de transplantes de órgãos será beneficiada com a nova tecnologia, pois essas análises de DNA são necessárias para criar um banco de dados para comparação com doadores de órgãos transplantados. Ele explica também que há diversos projetos em andamento que utilizarão a mesma tecnologia.

O seqüenciamento de DNA é uma das ferramentas essenciais da biologia molecular utilizada na pesquisa básica e aplicada. A automação, o desenvolvimento de novas tecnologias, e de softwares para análise de seqüência permitem a detecção de mutações, polimorfismos (microsatélites, SNPs), metilação de DNA, ou tipagem de bactérias e vírus em larga escala. Pesquisas vêm sendo desenvolvidas para estudar, por exemplo, o potencial de DNA mitocondrial como indicador de células cancerosas. De acordo com alguns resultados já divulgados, mais de 80% dos cânceres possuem mutações em seu DNA mitocondrial.

Um dos mais utilizados é o chamado método didesoxi, conhecido também como o de terminadores de cadeia ou de Sanger. Este constitui a base da metodologia empregada no seqüenciado do genoma humano e a sua estratégia consiste em identificar, continuamente e sequencialmente durante o processo, o último nucleotídeo incorporado na extremidade de alongamento da cadeia. Os produtos da reação deverão também portar uma “marca” que permita detectá-los na etapa de análise. Resumidamente, o processo é realizado a partir de uma cadeia simples (não dupla) do DNA a ser eqüenciado; esta servirá de molde para gerar a outra metade complementar da dupla hélice.

A busca pelo aprimoramento das técnicas de análise de DNA é essencial, devido não só às exigências em qualidade, mas também a um número cada vez maior de amostras que chegam aos laboratórios. Essa nova tecnologia é um grande passo para o setor de análises e com reflexos diretos na qualidade dos serviços oferecidos a médicos e pacientes.

25/03/2011
Arlei Maturano - Equipe Biotec AHG
 

 © BIOTEC AHG 2019 - Todos os direitos reservados - Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo-SP, Brasil. CEP: 01417-010